Spain

Saudades do Tumblr? Onde ver conteúdos +18 em lugares alternativos

Saudades do Tumblr? Onde ver conteúdos +18 em lugares alternativos

[Os links contidos nesta matéria são permitidos apenas para maiores de 18 anos]

Saudades do Tumblr? Onde ver conteúdos +18 em lugares alternativos

Felipe Germano

31/01/2019 12h07

[Os links contidos nesta matéria são permitidos apenas para maiores de 18 anos] 

Sexting

O dia 17 de dezembro foi um péssimo marco para quem consome conteúdo adulto na internet. Foi nesta data que o Tumblr baniu toda a pornografia de sua plataforma.

Para quem não está por dentro, vale a explicação: a notícia é ruim essencialmente pelo fato de que o conteúdo +18 publicado ali era bastante singular. Produtores do Tumblr, diferentemente dos que focam em plataformas de vídeos como PornHub e X-videos, davam muita atenção à estética. Mesmo sendo conteúdos amadores, a rede social era repleta de vídeos, fotos e gifs com iluminação, paleta de cores, e ângulos que pareciam sair não de um filme pornô que passa de madrugada na TV , mas de um livro de fotografia artística.

Vale notar que a notícia foi muito pior para as minorias. A plataforma era extremamente inclusiva, bem mais do que a média das redes adultas, diga-se de passagem. Para toda letra do LGBTQ+ haviam centenas de páginas dedicadas às especificidades eróticas de cada orientação. E, ao contrário do pornô tradicional, era comum ver na rede produções que focavam no corpo masculino, ou simplesmente não degradavam as mulheres retratadas – o que atraiu também uma forte audiência feminina.

O fim iminente se concretizou (mesmo com um abaixo-assinado que reuniu mais de 580 mil participantes), e os produtores começaram a zarpar para outras redes sociais. Agora, um mês e meio depois, vou te falar quais já estão mais estabilizadas para, de fato, assumir os órfãos do conteúdo-tumblr.

Reddit

Sexting

Entre as redes já estabelecidas, o Reddit foi o que melhor soube lidar com o nicho deixado pelo Tumblr.

Caso você não conheça, a plataforma funciona como uma espécie de agregador de fóruns. Para praticamente qualquer assunto, existe um espaço em que qualquer pessoa pode criar discussões, postar notícias, fotos e vídeos. É como uma comunidade do Orkut, mas aqui o termo utilizado é Subreddit.

Há subreddits sobre Tecnologia, Ciências, Filmes da Marvel, Músicas dos anos 50 e, claro, Pornografia – e não um, centenas deles.

Como a comunidade já estava organizada, foi mais fácil a transição. Grupos se reuniram para migrar mais de 60 mil blogs do Tumblr. E subreddits que já existiam ganharam ainda mais membros. Os números, aliás, entram na casa dos sete dígitos: o sub adulto mais popular da rede, o GoneWild, existe desde 2008 e conta com 1,8 milhão de usuários que compartilham fotos de si para o resto da comunidade.

As cifras do GoneWild, inclusive, ajudam a replicar a tão única pluralidade do Tumblr. O nome virou uma marca que ajuda a localizar subreddits focados em nichos, fetiches e orientações. Há por, exemplo, o ManGoneWild (com apenas fotos de homens), o GWPublic (para exibicionistas), o WeddingsGoneWild (que focam em compartilhamentos picantes envolvendo noivos), o GoneWildAudio (com só conteúdos auditivos – nicho que já estava bombando no Tumblr) e o GifsGoneWild (para quem quer ver erotismo de poucos segundos – aqui, no entanto, eles ainda são menor artísticos do que na rede anterior).

Mesmo fora da marca GW existem centenas de comunidades. Este subreddit, por exemplo foca justamente na catalogação destas páginas. São mais de 1700 fóruns listados.

Mastodon

Sexting

Se você estiver a fim de encontrar uma rede nova, o Mastodon talvez seja sua pedida.

Funciona como uma mistura de Tumblr com Twitter. Lá, você pode seguir produtores de conteúdo e depois organizá-los em subcategorias como «local» e «global», por exemplo.

Com a notícia do final erótico do Tumblr, o Mastodon logo se candidatou como uma alternativa para aqueles que queriam continuar suas produções. Um post no blog oficial, inclusive, foi dedicado a tentar convencer artistas e consumidores da outra rede social à entrarem na plataforma do mastodonte.

Até que deu certo. O número de páginas focadas em pornografia-estética ainda é raso. Mesmo assim, os que migraram já começaram a mostrar como a plataforma tem potencial para abrigar todos que também seguirem esse caminho. Páginas como o Humblr reúnem justamente expatriados do Tumblr na nova rede social. De BDSMs produzidos à amadores sem temática, o conteúdo ali presente seguem a qualidade e o estilo adotado na rede anterior. Se o boca a boca ajudar, em pouco tempo o Mastodon pode aumentar consideravelmente seu acervo.

Pillowfort

Sexting

Outra pequena rede que vem ganhando destaque é o Pillowfort. Assim como os dois exemplos anteriores, não se trata de uma comunidade adulta, mas de um ambiente que não censura conteúdos +18. Isso aliado à um layout muito parecido com o do Tumblr, tem atraído produtores de conteúdo.

Você pode acessar o Pillow agora mesmo, mas se quiser postar coisas lá, vai ter que esperar um convite (você pode pedir um se cadastrando neste link). De acordo com os organizadores do próprio site, foi essa limitação que fez os servidores aguentarem até agora. Se todo mundo que quisesse postar por ali, já estivesse publicando, a rede teria caído. Antes do banimento no Tumblr, a comunidade possuía apenas 2 mil membros. Na semana do dia 17/12, os pedidos de convite atingiram 8 mil pessoas.

Os poucos que entraram no site, no entanto, já se estabeleceram. Na descrição de quase todos há um mesmo termo «Tumblr refugee», os «refugiados do Tumblr». Quem perde é o tumblr. E a gente.

DICAS PARA PUXAR CABO DE FIBRA ÓPTICA

DICAS PARA PUXAR CABO DE FIBRA ÓPTICA

Antes de começarmos a dar dicas para puxar cabo de fibra óptica, temos que lembrar algumas vantagens de utilizá-lo em substituição aos cabos de par metálico ( cobre ) utilizados nas principais tecnilogias ADSL, UTP. Além de serem capazes de fazer uma transmissão de dados mais veloz,  e o sinal possui pouca perda e, por conta disso, empresas e residências optam por este sistema.

Uma das dicas mais importantes para instaladores e usuários vai para a questão da fragilidade dos cabos. Se forem torcidos ou dobrados de forma equivocada poderão romper ou se danificarem e, com isso, a capacidade de transmissão irá diminuir consideravelmente.

Projetar como serão colocados os cabos em torno dos cantos e curvas trará eficiência e dinamismo a instalações e manutenções.

Aquela famosa frase “antes pecar pelo excesso do que pela falta” resume bem o trabalho do instalador. Pois imagine ir até a casa ou empresa de um cliente e quando estiver finalizando o serviço, notar que faltaram alguns metros de cabo? Há duas possibilidades para resolver isso (e nenhuma muito interessante):

• voltar para a empresa e buscar mais cabos (o que demandará um tempo desnecessário);

• ou tentar esticar os cabos e correr o risco de danificá-lo.

Portanto, saia sempre preparado para que seu projeto termine em tempo hábil!

Desenrole-os dos carretéis e não puxe pelas bordas. Isso pode parecer uma dica simples, mas existem diversos instaladores que não se dão conta do risco que correm em quebrar/danificar os cabos ao manuseá-los da forma errada.

Entenda que, para puxar os cabos sem danificá-los, o instalador precisará usar a força de tração adequada (fique atento também com o tipo de cabo utilizado). Se tiver em mãos um cabo de fibra óptica de 12FO por exemplo, a força de tração deverá ser de no máximo 270N. consulte o datasheet de cada modelo de cabo do seu respectivo fabricante. Clique no link para ver um exemplo de datasheet da Nexans.

Para garantir a qualidade do serviço e não ter a famosa “dor de cabeça” para você e para seus clientes, faça testes de verificação após a instalação – há uma série de possibilidades que o profissional pode antever com estes testes.

E lembre-se: estas dicas para puxar cabo de fibra óptica valem para todos, mas é sempre mais interessante deixar tais tarefas para profissionais.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com a gente para maiores esclarecimentos.

Fonte: Connected Fiber

Sistema com IA cria vídeo a partir de uma única foto (imagine as fake news)

Publicaciones relacionadas

Botón volver arriba